Observatório Bíblico

Terça-feira, Setembro 01, 2009

Darwin e seu legado

Ecos de Darwin: esté o tema de capa da revista IHU On-Line, edição 306, publicada em 31/08/2009.

Do Editorial:
"Passados dois séculos do nascimento de Charles Darwin (1809-1882), e 150 anos do lançamento da primeira edição de sua obra fundamental, A origem das espécies, a IHU On-Line dedica a matéria de capa desta edição a discutir o seu legado, sua influência dentro e fora do campo das ciências. Uma semana antes do IX Simpósio Internacional IHU: Ecos de Darwin, estas entrevistas podem ser lidas em conjunto com a edição número 300, de 13/07/2009, intitulada Evolução e fé. Ecos de Darwin.

Diversos conferencistas do Simpósio concederam entrevistas e enviaram artigos especiais. O historiador italiano Pietro Corsi, docente na Universidade de Oxford, Inglaterra, assegura que podemos questionar nossa época a partir de Darwin, sobretudo “o pressuposto bastante desarrazoado de que o universo todo foi criado para nós”. Edward Manier, biólogo docente na Universidade de Notre Dame, EUA, enfatiza que Darwin enfraqueceu o antropocentrismo, e que ele “não fez nada para diminuir o status da razão e sentimentos morais”. O cientista jesuíta William Stoeger, da Universidade do Arizona, pondera que não haveria evolução biológica sem a evolução cósmica. Louis Caruana, filósofo, também jesuíta, e professor da Universidade de Londres, analisa a ligação entre a Teoria da Evolução e os fundamentos da moral, além de discutir o mau uso do darwinismo pela eugenia. Aldo Mellender de Araújo, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, se vale da metáfora “espinho na cauda do pavão” para examinar tópicos da seleção sexual darwiniana. O pensamento biogeográfico em tempos darwinianos é o tema de Gervásio Silva Carvalho, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. O geólogo Charles Smith, professor na Western Kentuky University, nos EUA, examina as conexões entre Wallace e Darwin, enquanto Heloísa Maria Bertol Domingues escreve sobre o darwinismo no Brasil e na América Latina. A filósofa Anna Carolina Krebs Pereira Regner, especialista em Darwin, também enviou artigo especial à IHU On-Line, e Lilian Al-Chueyr Pereira Martins, docente na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP, e pesquisadora da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, complementa a discussão".

São 10 entrevistas:
:: Aldo Mellender de Araújo: A seleção sexual darwiniana: espinho na cauda do pavão
:: William Stoeger: “Sem a evolução cósmica não haveria evolução biológica”
:: Pietro Corsi: O universo não foi criado para nós
:: Louis Caruana: Darwin e os fundamentos da moral
:: Gervásio Silva Carvalho: O pensamento biogeográfico em tempos darwinianos
:: Edward Manier: Darwin enfraqueceu o antropocentrismo
:: Charles Smith: As conexões entre Wallace e Darwin
:: Heloísa Maria Bertol Domingues: O darwinismo no Brasil e na América Latina
:: Lilian Al-Chueyr Pereira Martins: Teoria de Darwin deve ser pensada a partir de Lamarck
:: Anna Carolina Krebs Pereira Regner: Deus e a ciência: a controvérsia interna de Darwin


Leia Mais:
Evolução e Fé: Ecos de Darwin
Charles Darwin Bicentenário
Ecos de Darwin
The Complete Work of Charles Darwin Online
Criacionistas e defensores do design inteligente em apuros com a descoberta do Tiktaalik roseae

Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Agosto 18, 2009

Evolução e fé cristã segundo Teilhard de Chardin

O futuro que advém. A evolução e a fé cristã segundo Teilhard de Chardin.

Este é o tema de capa da edição 304 da revista IHU On-Line, de 17/08/2009.

Do editorial:
Para entender melhor a genial e peculiar visão de Pierre Teilhard de Chardin sobre a evolução do cosmos, na vigília do IX Simpósio Internacional Ecos de Darwin, promovido pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU, nos dias 9 a 12 de setembro, na Unisinos, a revista IHU On-Line desta semana, além do professor John Haught, da Universidade de Georgetown, EUA, entrevistou Jacques Arnould, dominicano francês, doutor em Ciências e em Teologia, George Coyne, matemático, astrônomo e jesuíta norte-americano, Ludovico Galleni, cientista italiano, Luís Miguel Sebastião, professor da Universidade de Évora, Portugal, Paul Schweitzer, matemático e professor da PUC-Rio, Pedro Guimarães Ferreira, doutor em Engenharia de Sistemas e Computação e professor na PUC-Rio, e Waldecy Tenório, professor da PUC-SP. Esta edição foi feita em parceria com o Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH) da PUC-Rio.

Leia Mais:
Evolução e Fé: Ecos de Darwin

Marcadores:

Bookmark and Share

Segunda-feira, Julho 20, 2009

The Eagle has landed - A Águia pousou

Li agora no blog do Luís Nassif, justamente quando acabava de publicar o texto abaixo e voltava do site da NASA, a postagem escrita por Luiz Horácio, A fantasia da viagem à lua e a Apolo 11, de 20/07/2009 - 09:33. E gostei demais deste trecho:

As pessoas que hoje têm menos do que 40, 40 e poucos anos, talvez não tenham tido um “contato imediato de terceiro grau” com a “era espacial”. Como há o computador hoje, havia o espaço antes, e não era apenas ficção, acontecia naquele momento (...) Nasci em 58, plena era do Sputinik (...) Hoje, 20 de julho de 2009, 40 anos depois da Apolo 11, tenho a sensação de que estamos atrasados, de que nos perdemos dessa grande aventura. O Espaço seria o novo desconhecido a ser explorado, além de um planeta que foi quase todo conquistado (mais do que devia). O espírito humano precisa disso em suas buscas da existência, mas ficamos com o foguete e esquecemos o espaço, preferimos as guerras e esquecemos a aventura, preferimos a violência e deixamos de lado a autêntica ousadia. Que pena, que saudade de 20 de julho de 1969, na sala à noite com minha família, vendo Neil Armstrong descer de uma pequena escadinha, na Lua.

Mais informações? Leia aqui.

Marcadores:

Bookmark and Share

Apollo 11: comemoração dos 40 anos

One small step for (a) man, one giant leap for mankind

É um pequeno passo para um homem, um salto gigantesco para a humanidade



Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Julho 14, 2009

Evolução e Fé: Ecos de Darwin

Diz o Editorial:
"O legado do cientista britânico Charles Darwin (1809-1882) e sua obra A origem das espécies, lançada há 150 anos, é o tema da edição número 300 da IHU On-Line [de 13/07/2009]. A presente edição é um subsídio para as discussões do IX Simpósio Internacional IHU: Ecos de Darwin, promovido pelo Instituto Humanitas Unisinos – IHU, em parceria com o PPG em Filosofia da Unisinos, de 9 a 12 de setembro de 2009, no campus da Unisinos.

John F. Haught, filósofo norte-americano, criador do conceito de teologia evolucionista, sustenta que as teorias da evolução e da criação divina se complementam, e que vivemos em um universo “emergente”, em constante criação. Para ele, o confronto entre fé e ciência é salutar.

O filósofo norte-americano Daniel Dennett acentua que não fomos criados à semelhança de Deus, e sim que Ele foi criado à nossa semelhança. Darwin destronou-nos de nosso antropocentrismo, provoca.

Massimo Pigliucci, geneticista e biólogo italiano, pondera que ciência não é sinônimo de ateísmo, e que a teoria da evolução teve o mesmo impacto que a revolução copernicana.

A compatibilidade entre epigenética e teoria da evolução é o tema da geneticista Eva Jablonka. Segundo ela, a herança comportamental na evolução se apresenta de várias maneiras, sobretudo por meio de tradições, e os mecanismos epigenéticos recém descobertos ampliam noções de hereditariedade, variação e evolução.

O teólogo dominicano Jean-Michel Maldamé contribui com um artigo exclusivo, no qual aborda a compatibilidade entre ciência e espiritualidade.

O biólogo Nélio Bizzo (USP), que percorreu alguns dos trechos do caminho feito por Darwin a bordo do Beagle, menciona aspectos interessantes dessa viagem. Ele pontua, também, que houve uma trama ardilosa para desacreditar A origem das espécies".

As entrevistas:
  • Eva Jablonka: Epigenética e teoria da evolução. Suas compatibilidades
  • Massimo Pigliucci: “A ciência não significa, necessariamente, ateísmo”
  • Daniel Dennett: Não fomos criados à semelhança de Deus: Ele é que foi criado à nossa semelhança
  • John F. Haught: A nossa compreensão de Deus não pode ser a mesma depois de Darwin
  • Jean-Michel Maldamé: Ciência e espiritualidade
  • Nélio Bizzo: Nos passos de Darwin
Leia Evolução e Fé. Ecos de Darwin.

Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Março 17, 2009

Ravasi fala sobre o relato do Gênesis e a evolução

Uma entrevista que vale a pena ler. Feita por Alexandre Gonçalves. Publicada em O Estado de S. Paulo de 16/03/2009.

É bom lembrar: muito antes de ocupar cargo no Vaticano, Gianfranco Ravasi, o entrevistado, já era conhecido biblista.

Reproduzida por Notícias - IHU On-Line em 17/03/2009, com o título 'Se a fé não é pensada, não é nada''. O que a Igreja pensa da evolução?

Leia Mais:
Charles Darwin Bicentenário

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Fevereiro 22, 2009

A ciência e as religiões

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo de 22/02/2009 e reproduzido por Notícias - IHU On-Line no mesmo dia, Marcelo Gleiser, professor de física teórica no Dartmouth College, em Hanover, NH, USA, reflete sobre a relação entre a ciência e as religiões por ocasião das comemorações que lembram os feitos de Darwin e Kepler. E Galileu.

No início do artigo, ele diz:
Como escrevi em colunas recentes, neste ano celebramos dois grandes aniversários. O primeiro, o bicentenário do nascimento de Charles Darwin e o sesquicentenário da publicação de seu revolucionário "A Origem das Espécies". O segundo, os quatrocentos anos da publicação do livro "Astronomia Nova", em que Johannes Kepler mostrou que a órbita de Marte é elíptica, inferindo que todas as outras seriam também. No mesmo ano, 1609, Galileu Galilei apontou o seu telescópio para os céus mudando a astronomia para sempre. Em ambos os casos, as descobertas científicas criaram sérios atritos com as autoridades religiosas. Atritos que, infelizmente, sobrevivem de alguma forma até hoje, principalmente com as religiões monoteístas que dominam o mundo ocidental e o Oriente Médio: judaísmo, cristianismo e islamismo. O momento é oportuno para iniciarmos uma reavaliação das suas causas e apontar, talvez, resoluções.

E termina assim:
Fechar os olhos para os avanços da ciência é escolher um retorno ao obscurantismo medieval, quando homens viviam suas vidas assombrados por espíritos e demônios, subjugados pelo medo a aceitar a proteção de Deus. A escolha por uma devoção religiosa - se é essa a sua escolha - não deveria ser produto do medo. No fim de semana passado, a catedral de São Paulo em Melbourne, Austrália, ofereceu um simpósio sobre Darwin. Nos EUA, outro simpósio reuniu cerca de 800 pastores e rabinos para discutir modos de reconciliação entre ciência e religião. Parece que finalmente um novo diálogo está começando. Já era tempo.

Leia o texto completo.

Fonte: Notícias - IHU On-Line: 22/02/2009

Leia Mais:
A ciência antes e depois de Darwin
Charles Darwin Bicentenário
MEC diz que criacionismo não é tema para aula de ciências

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Fevereiro 15, 2009

Charles Darwin Bicentenário

‘Salvem Darwin dos extremos’, afirma centro de pesquisas em teologia
Apenas 37% das pessoas no Reino Unido acreditam que a teoria da evolução de Darwin está “além de qualquer dúvida racional”, afirma o Theos, um centro de pesquisa público em teologia (...) Dos entrevistados, 32% acreditam que o Criacionismo da Terra Jovem (CTJ, “a crença de que Deus criou o mundo em algum momento dos últimos 10 mil anos) é tanto “definitivamente ou provavelmente verdadeiro”, e 51% dizem o mesmo a respeito do Design Inteligente (que o Theos define como “a idéia de que a evolução sozinha não é suficiente para explicar as complexas estruturas de algumas formas de vida, então a intervenção de um designer é necessária em estágios-chave”) (...) O fato de que esses dados não fazem sentido mostra como a população está confusa e geralmente se contradiz em suas opiniões, afirmam os autores do relatório "Rescuing Darwin" [Resgatando Darwin], Nick Spencer, diretor de estudos do Theos, e Denis Alexander, diretor do Faraday Institute for Science and Religion. Eles descrevem-no como um “triste estado das coisas”, em uma época em que a teoria é agora incontestável em círculos científicos e quando os avanços na genética fortaleceram-na. Os autores dizem que as razões para isso são complexas, mas parece estar na má-interpretação de que a ciência e a religião são, de alguma forma, descrições rivais da forma como o mundo funciona, ou explicações concorrentes para o mistério da vida. Eles chamam a atenção para o agnosticismo autoproclamado de Darwin, a rejeição explícita da idéia de que a evolução necessitaria do ateísmo e o comprometimento respeitoso com todos no debate – um espírito que descrevem como “muito em falta” nas discussões atuais. “A posição de Darwin e o seu espírito de engajamento precisam ser resgatados do fogo cruzado da batalha entre os religiosos militantes e os ateus militantes, que, apesar de serem pólos opostos em tantas questões, parecem concordam que a evolução ameaça a crença em Deus”.

Leia o texto completo.

Fonte: Notícias - IHU On-Line: 15/02/2009


Leia também:
:: Conferência no Vaticano fará estudo crítico sobre design inteligente - Notícias - IHU On-Line: 15/02/2009
Uma conferência organizada pelo Vaticano sobre evolução irá incluir um estudo crítico da teoria do design inteligente, que, dizem os organizadores, representa uma teologia e ciência pobres.

:: Um feliz aniversário cristão-progressista para Charles Darwin - Notícias - IHU On-Line: 15/02/2009
Susan Brooks Thistlethwaite, professora e ex-presidente do Chicago Theological Seminary e membro sênior do Center for American Progress, publicou artigo em que analisa o amplo legado de Darwin e critica a postura dos "cristãos conservadores", cujo enfoque na evolução "é muito mais político do que puramente teológico".

:: Brasil tem comemorações darwinianas; saiba onde e quando - Folha Online: 12/02/2009 - 09h30

:: Acompanhe passo a passo como foi a viagem de Darwin pelo mundo - Folha Online: 12/02/2009 - 11h51


Leia Mais:
Criacionismo, design inteligente e teoria da evolução
Ecos de Darwin
Intelligent design, criacionismo e evolucionismo
The Complete Work of Charles Darwin Online

Marcadores:

Bookmark and Share

Sábado, Dezembro 20, 2008

Ecos de Darwin

IX Simpósio Internacional IHU Ecos de Darwin

:: Apresentação
Com o objetivo de debater a importância e as repercussões da obra de Charles Darwin por ocasião dos 200 anos de seu nascimento e dos 150 anos da publicação da primeira edição da Origem das Espécies, o Instituto Humanitas Unisinos - IHU - conjuntamente com o PPG em Filosofia da Unisinos e com o apoio do Colégio Anchieta de Porto Alegre, promove o IX Simpósio Internacional IHU Ecos de Darwin a ser realizado na Unisinos, de 9 a 12 de setembro de 2009

:: Realização
Início: 09 de setembro de 2009
Término: 12 de setembro de 2009
Horário: conforme o programa
Duração total: 40 horas
Local: Anfiteatro Pe. Werner – Av. Unisinos, 950 – São Leopoldo – RS

:: Objetivo
. Expor as raízes históricas da teoria darwiniana na Origem das Espécies
. Discutir as implicações da revolução científica, metodológica e epistemológica do evolucionismo darwiniano
. Explorar as novas perspectivas epistemológicas, éticas, sociais e religiosas suscitadas pela discussão do pensamento darwiniano

:: Público-alvo
Professores (as), pesquisadores (as), estudantes universitários(as) e comunidade em geral

:: Programa
Cf. a página de Eventos do IHU

Leia Mais:
Darwin, discutido 200 anos depois - Notícias - IHU On-Line: 20/12/2008
Criacionismo
Criacionismo, design inteligente e teoria da evolução
The Complete Work of Charles Darwin Online
Intelligent design, criacionismo e evolucionismo

Marcadores:

Bookmark and Share

Quarta-feira, Setembro 24, 2008

Einstein em Sao Paulo

Começa exposição sobre Einstein no parque Ibirapuera - Folha Online: 24/09/2008 - 09h51

Exposição sobre Albert Einstein abre nesta quarta-feira em SP - Folha Online: 24/09/2008 - 12h06

Leia Mais:
Acredito no Deus de Spinoza: Einstein
Alguns links para páginas sobre Einstein

Marcadores:

Bookmark and Share

Quarta-feira, Setembro 10, 2008

LHC - The Large Hadron Collider

Cientistas testam com sucesso máquina que tenta reproduzir o Big Bang - Folha Online: 10/09/2008 - 05h10

Saiba detalhes sobre a maior máquina já construída pelo homem - Folha Online: 10/09/2008 - 11h11

LHC - The Large Hadron Collider - Home Page do Grande Colisor de Hádrons

Fotos do LHC

Marcadores:

Bookmark and Share

Segunda-feira, Agosto 25, 2008

Coisa grande: mil vezes a massa da Via Láctea

"Divagarzim" vamos ampliando a visão de onde estamos. Quem sabe um dia descobrirei, de fato, doncôvim, oncotô, proncovô, concossô... Afinal, sou mineiro! E acabei de ler esta notícia da France Presse:

Astrônomos descobrem grupo de galáxias gigante
O observatório astronômico europeu XMM-Newton encontrou o maior grupo de galáxias jamais visto no universo, uma descoberta que pode confirmar a existência da energia negra, anunciou nesta segunda-feira em um comunicado a ESA (agência espacial européia). Batizado 2XMM J083026+524133, o grupo deve conter "uma massa correspondente a mil galáxias" e foi observado quando o XMM-Newton, que tem como missão estabelecer um catálogo de fontes cósmicas emissoras de raios X (planetas, cometas, quasares etc) estava focalizado outro objeto. O J083026+524133 foi visto porque forma uma mancha muito brilhante. Observado em seguida com um potente telescópio de Arizona, se revelou um grupo de galáxias com mil vezes a massa de nossa galáxia, a Via Láctea. "A presença deste grupo confirma existência de um elemento misterioso, a energia negra, suposta responsável pela aceleração da expansão do Universo", destacou em um comunicado Georg Lamer, do Instituto de astrofísica de Potsdam (Alemanha). Segundo os astrofísicos, a maior parte do grupo situado a 7,7 bilhões de anos-luz seria formada de um gás a temperatura de 100 milhões de graus Celsius.

Fonte: Folha Online: 25/08/2008 - 17h39

Marcadores:

Bookmark and Share

Sexta-feira, Agosto 01, 2008

Phoenix Confirms Martian Water

:: Sonda confirma existência de água em Marte
:: Phoenix Mars Lander
:: I can now say I'm the first mission to Mars to touch and then *taste* the water
:: Eu posso dizer agora que eu sou a primeira missão a Marte a tocar e depois "provar" a água

Marcadores:

Bookmark and Share

Sábado, Abril 26, 2008

Audaciosamente indo onde ninguém jamais esteve

Stephen Hawking apela ao espírito de Colombo para conquistar o Universo
Há 50 anos, o presidente dos Estados Unidos, Dwight Eisenhower, estampou sua assinatura num documento oficial que criava a Agência Nacional da Aeronáutica e do Espaço, a NASA, como é conhecida. Pode ser que o espaço não seja mais algo que está nas manchetes, mas há cientistas que estão se esforçando para fazer ver que as grandes missões ainda estão por vir, escreve David Alandete, em reportagem para o El País, 23-04-2008. A tradução é do Cepat. Entre esses cientistas está o astrofísico, intelectual e profeta do espaço Stephen Hawking. “Vivemos uma situação como a da Europa antes de 1492”, disse ontem em Washington, num ato de comemoração do meio século da agência espacial na Universidade George Washington. “As pessoas devem ter pensado que era perda de dinheiro enviar Colombo a algo comparável com caçar patos selvagens. Mas o descobrimento mudou o velho mundo...

Leia o texto completo em Notícias do Dia - IHU On-Line: 26/04/2008


Hawking: "Si la raza humana sigue otro millón de años, tendremos que ir donde nadie ha ido jamás"
El prestigioso astrofísico inglés insta a conquistar el espacio con el mismo espíritu que Colón a finales del siglo XV

Fonte: El País / Agencias - Madrid/Washington - 22/04/2008


Leia Mais:
Astronomy Picture of the Day
Livros de [e sobre] Stephen Hawking
Stephen William Hawking

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Abril 13, 2008

Fazendo Teologia no umbral de Planck?

No post anterior recomendo dois artigos muito bons que realmente fazem pensar. Mas, quanto a este, li e fiquei sem saber o que pensar... Há um problema epistemológico neste tipo de raciocínio? Ou não?

Em meu artigo Inventando o Universo: Pensar Deus a partir da Nova Física, escrevi ainda no começo do milênio:
"Einstein disse certa vez que estava interessado mesmo era em saber como Deus criara este mundo. Ora, já se passou quase um século desde que a teoria da relatividade e a mecânica quântica começaram a ajudar os homens a compreenderem melhor como é feito este mundo em que vivemos. Porém, muitos teólogos ainda encontram sensíveis dificuldades em pensar Deus e o homem a partir da cosmologia que surgiu com as descobertas da física do século XX. Em pleno terceiro milênio, teólogos há que, por razões diversas, ainda continuam a ler os textos bíblicos e a elaborar suas reflexões como se as cosmologias antiga e medieval fossem mais do que suficientes para explicar o universo e o lugar do homem nele. Tempo, espaço, matéria, Deus, causalidade, alma, criação, salvação, redenção, determinismo, livre-arbítrio e tantos outros conceitos precisam ser revisitados sob o olhar vigilante da nova física".

De qualquer maneira aí está:

Um Deus do qual surge o espaço-tempo: Notícias do Dia - IHU Online - 13/4/2008


Para ajudar - ou para complicar - leia ainda:
Cosmólogo recebe prêmio defendendo existência de Deus - BBC Brasil: 14 de março de 2008
Prémio Templeton 2008 - De Rerum Natura: 24 de março de 2008
The ethics of mixing science and religion - New Scientist Short Sharp Science Blog: March 12, 2008
Newest Templeton Prize winner rejects "intelligent design" - National Center for Science Education: March 20, 2008
Statement by Professor Michael (Michal) Heller - At The Templeton Prize News Conference, March 12, 2008
Templeton Prize
Sir John Templeton

Marcadores:

Bookmark and Share

Quinta-feira, Janeiro 03, 2008

Einstein: Sua Vida, Seu Universo

ISAACSON, W. Einstein: Sua Vida, Seu Universo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007, 656 p. - ISBN 9788535911282.

Tradução do inglês: Einstein: His Life and Universe. New York: Simon & Schuster, 2007, 704 p. - ISBN 9780743264730 (A edição em 'Paperback' será publicada em maio de 2008).

Diz a editora:
"Einstein: sua vida, seu universo, a nova biografia de Albert Einstein, baseia-se numa coleção de cartas divulgadas em 2006, vinte anos depois da morte de sua enteada, conforme ela determinara em testamento. Escrita pelo jornalista Walter Isaacson, que já presidiu os grupos Time e cnn, e amplamente elogiada pela crítica, revela um Einstein avesso a qualquer tipo de dogma. Foi esse espírito rebelde que permitiu o nascimento da teoria que revolucionaria a física. O conteúdo das cartas desnuda a vida íntima de uma mente genial. Um homem simples e afável, mas ao mesmo tempo impertinente e distante, Einstein mantinha relacionamentos pessoais difíceis, segredos e casos extraconjugais, além de desprezar a guerra e se divertir com a aura de celebridade. Livre de amarras, Einstein podia explorar sua curiosidade, traço fundamental de sua personalidade e, em suas próprias palavras, essencial para seu brilhantismo: Não tenho nenhum talento especial, apenas uma ardente curiosidade. Mas, no fim da vida, a rebeldia deu lugar ao inconformismo, tanto em termos científicos quanto políticos. Einstein: sua vida, seu universo nos revela o menino curioso, o estudante genial e insolente que se apaixona pela colega de curso, o funcionário do escritório de patentes que revoluciona a física, o homem atormentado por problemas conjugais, o pai muitas vezes ausente, o físico por fim reconhecido no mundo todo, o militante pacifista e sua busca frustrada pela teoria do campo unificado uma solução matemática que explicasse as idiossincrasias da recém-nascida mecânica quântica, fruto de uma idéia sua".


Sem usar matemática, biografia de Einstein conta como o gênio mudou a física
Em 1905, [Einstein] sacou que o tempo não era absoluto: para alguém se movendo, o tempo passa mais devagar do que para quem está parado. Dez anos depois, cravou que o espaço é curvo: um meteoro não é atraído pela lei de gravidade da Terra; na verdade, ele escorrega como uma bola de sinuca numa caçapa. Apesar de se tratarem de conceitos físicos avançados, essas teorias estão explicadas para gente normal na ótima biografia "Einstein - Sua Vida, seu Universo". Mesmo longo, o livro não traz uma única equação matemática. E extrapola a física teórica, já que a vida de Einstein se confunde com a história do século 20: fala da vida pessoal, dos amores, da decisão de criar a bomba atômica, da criação do Estado de Israel e, principalmente, dos processos mentais que fizeram Albert Einstein (1879-1955) virar um "Einstein". Ou seja, faz você viajar com ele na velocidade da luz. Fonte: Folha Online: 17/12/2007 - 08h35.

Mais sobre Einstein? Leia aqui e aqui.

Leia também:
Astrônomos da Alemanha vêem "parto" de planeta - Folha Online: 03/01/2008 - 08h16

Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Outubro 02, 2007

Se quisermos viver no Universo...

"Se queremos nos manter aqui por outros milhares de anos, se pretendemos explorar o espaço interestelar como nossos antepassados exploraram a Terra, temos de nos conscientizar da necessidade de uma nova ética, que transcenda nossas polarizações políticas, religiosas e raciais", diz Marcelo Gleiser, brasileiro, professor de física e astronomia do Dartmouth College, em Hanover, USA, que estará lançando, no próximo dia 15, o livro Micro Macro 2. Mais Reflexões Sobre o Homem, o Tempo e o Espaço. São Paulo: Publifolha, 2007, 240 p. - ISBN 9788574028194.

Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Setembro 18, 2007

Um registro daquilo que pensamos que somos

Sondas Voyager completam 30 anos no espaço com mensagem de paz

Leia na Folha Online de 06/09/2007 - 11h54.


Leia também:
Inventando o Universo
The Carl Sagan Portal
Voyager: The Interstellar Mission


>> We are a way for the Cosmos to know itself. Carl Sagan

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Julho 01, 2007

Do Felis silvestris lybica ao gato doméstico

Pois é: mais uma contribuição do Antigo Oriente Médio...

Gatos domésticos têm origens no Oriente Médio

Os gatos domésticos são descendentes dos gatos que viviam no Oriente Médio cerca de 130 mil anos atrás, segundo afirma um estudo do National Cancer Institute de Bethesda, nos Estados Unidos, publicado pela revista "Science", que colheu amostras de DNA de mil felinos de três continentes (...) Os pesquisadores chefiados por Stephen O'Brien colheram e analisaram o material genético mitocondrial tanto dos gatos domésticos quanto dos selvagens de todas as cinco espécies conhecidas. Da relação entre as amostras foi revelado que os felinos domésticos descendem daqueles selvagens que viviam no Oriente Médio.Segundo os pesquisadores americanos, entre dez e doze mil anos atrás, na região onde atualmente se localiza o Iraque, os gatos foram inseridos no convívio humano para acabar com os ratos que infestavam as aldeias... (Fonte: Folha Online: 30/06/2007 - 09h12 - da Ansa, em Roma)


The Near Eastern Origin of Cat Domestication

The world's domestic cats carry patterns of sequence variation in their genome that reflect a history of domestication and breed development. A genetic assessment of 979 domestic cats and their wild progenitors (Felis silvestris silvestris - European wildcat; F. s. lybica - Near Eastern wildcat; F. s. ornata - Central Asian wildcat; F. s. cafra - sub Saharan African wildcat; and F. s. bieti - Chinese desert cat) indicated that each wild group represents a distinctive subspecies of Felis silvestris. Further analysis revealed that cats were domesticated in the Near East, likely coincident with agricultural village development in the Fertile Crescent. Domestic cats derive from at least five founders from across this region, whose descendents were subsequently transported across the world by human assistance. (Fonte: Driscoll, C. et al. Science Magazine - Abstract published online June 28, 2007)

Leia também: Feline five give birth to billions


Atualização: 20h06
Na lista de discussão ANE-2 há dados interessantes sobre o assunto, como, por exemplo, o vocabulário acádico para designar os gatos... Quem estiver interessado em conhecer o assunto, consulte aqui e olhe outros e-mails (de hoje mesmo) com o mesmo tema (algo como Domestication of the Cat in the Near East).

Marcadores:

Bookmark and Share

Sexta-feira, Maio 18, 2007

The Complete Work of Charles Darwin Online

Site criado pela Universidade de Cambridge, Reino Unido, traz um belo acervo sobre Charles Darwin: são cerca de 50 mil páginas de texto e 40 mil imagens.

Leia sobre o site, na Folha Online, em Projeto publica trabalhos e cartas de Charles Darwin na internet.

O site The Complete Work of Charles Darwin Online traz a seguinte descrição do projeto:
This website is the largest collection of writings by and about Darwin ever published. It contains Darwin's complete publications, many handwritten manuscripts and the largest Darwin bibliography and manuscript catalogue. There are also over 200 supplementary texts, from reference works, reviews, obituaries, biographies and more. Darwin Online For a non-academic entryway see Major works. The majority is online here for the first time such as the 1st editions of Voyage of the Beagle, Descent of Man, Zoology of the Beagle, all editions of Origin of species (1st, 2nd, 3rd, 4th, 5th & 6th) and complete autobiography. There are newly transcribed manuscripts such as Darwin's Beagle diary & field notebooks, pocket diary, and images of his theoretical notebooks. There is much still to come: more editions, translations, introductions, notes and thousands of manuscripts (...) See the amazing new website of the Darwin Correspondence Project with thousands of Darwin letters and much more here.

Marcadores:

Bookmark and Share

Sexta-feira, Agosto 04, 2006

Descoberta uma dupla de planetas errantes, sem estrela-mãe, que giram ao redor deles mesmos

Folha Online: 04/08/2006 - 12h02

Astrônomos observam dupla de planetas errantes pela 1ª vez
Astrônomos do Observatório Europeu Austral, localizado no Chile, anunciaram a descoberta de uma dupla de planetas errantes (sem estrela-mãe) que giram ao redor deles mesmos e que vagam livremente pelo espaço. Esta é a primeira vez que se observam dois corpos celestes unidos pela gravidade de "planetas flutuantes livres" ("free floating planets", em inglês). O maior corpo celeste, com uma massa sete vezes maior do que a de Júpiter, foi detectado a cerca de 400 anos-luz de nosso sistema solar. O fato extraordinário é que ele não gira em volta de uma estrela, mas em torno de outro corpo frio com o dobro de sua massa. Ray Jayawardhana, da Universidade de Toronto, e Valentin Ivanov, do Observatório Europeu Austral, publicarão a descoberta na "Science Express", site da revista "Science" (cont.)

Marcadores:

Bookmark and Share

Sexta-feira, Maio 05, 2006

O Universo atual está na primeira, segunda, terceira ou... qual versão? Big Bangs and Big Crunches

Notre univers a-t-il connu plusieurs Big Bang ?

Universe 'child of previous one'

Universo teve vários começos, diz estudo

Leia Mais:
Sites com lendas indígenas tentam explicar o universo

Marcadores:

Bookmark and Share

Quinta-feira, Abril 06, 2006

Criacionistas e defensores do design inteligente em apuros com a descoberta do Tiktaalik roseae

O Tiktaalik roseae, de 375 milhões de anos, é o elo perdido entre os peixes e os vertebrados terrestres, inclusive os seres humanos


Folha Online: 06/04/2006 - 09h48

Paleontólogos americanos encontram peixe com pata

Reinaldo José Lopes, da Folha de S.Paulo
É o fóssil que todo estudioso da evolução pediu a Deus: um peixe com patas. Aliás, também com o começo de um pulso nas "mãos" e um pescoço. Os paleontólogos costumam fugir do clichê, mas não dá para negar: esse animal é o elo perdido na origem de todos os vertebrados terrestres, inclusive o Homo sapiens. A história quase inacreditável do Tiktaalik roseae, um predador de águas rasas que pode ter alcançado até 2,7 m de comprimento quando vivo, começa a ser revelada na edição de hoje da revista científica "Nature". O bicho foi retirado do meio de rochas com 380 milhões de anos por um trio de paleontólogos americanos, Neil Shubin, Edward Daeschler e Farish Jenkins Jr. "Nós o achamos em meio a um cenário ártico clássico, na ilha de Ellesmere [Canadá], rodeados por ursos polares e bois-almiscarados", contou Shubin (cont.)

Esta descoberta coloca os criacionistas e os defensores do design inteligente em situação delicada... Leia também o post The fish that crawled out of the water, no Nature Newsblog.

Marcadores:

Bookmark and Share

Quarta-feira, Novembro 30, 2005

Einstein no CERN dia 01/12/2005: acompanhe pela Internet

O Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), sediado em Genebra, Suíça, e o Comitê Internacional para o Ano Mundial da Física farão amanhã, 01/12/2005, doze horas de palestras sobre física. Participam grandes expoentes da física mundial, como Stephen Hawking, Murray Gell-Mann, Carlo Rubbia, Paul Davies, David Gross, Tim Berner Lee e muitos outros. Vários deles ganharam o Prêmio Nobel.

O objetivo do evento é debater a física a partir e para além de Einstein, pois neste ano - declarado como o Ano Mundial da Física - comemorou-se no mundo todo o centenário do miraculoso ano de Einstein. Com efeito, foi em 1905 que o jovem físico desenvolveu três de seus mais importantes artigos, apresentando a teoria da relatividade especial, o conceito dos quanta de luz e hipóteses sobre a movimentação das moléculas. O evento, realizado na sede do CERN, será transmitido ao vivo pela Internet. Depois disso, pelo menos parcialmente, o evento permanece gravado neste endereço e à disposição dos interessados.

Leia mais:
Beyond Einstein: World Wide Webcast
Maratona de 12h de palestras celebra ano mundial da física
Páginas sobre Einstein

Marcadores:

Bookmark and Share