Observatório Bíblico

Quinta-feira, Julho 20, 2006

Quem ganha com o caos criado por Israel no Líbano?

BBC Brasil: 19 de julho, 2006 - 18h01 GMT (15h01 Brasília)

Caio Blinder - de Nova York

Irã é vencedor imediato no Líbano

Nas voláteis e sempre explosivas crises do Oriente Médio, já surgiram novos perdedores indiscutíveis. São civis no Líbano e no norte de Israel, vítimas de bombardeios e do lançamento de foguetes. A curto prazo, o Irã emerge como um vencedor. A crise deflagrada pela provocação do grupo xiita Hezbollah e aprofundada pela resposta israelense mostrou a capacidade do regime de Teerã de estender os seus tentáculos. Não se trata apenas do seu apoio ao Hezbollah, mas da ampliação de oportunidades para atuar como um "player" regional. Essas oportunidades foram abertas pela reação americana aos ataques do 11 de Setembro. As invasões do Afeganistão e do Iraque foram um presente de George W. Bush ao regime de Teerã pela eliminação de inimigos fronteiriços, o Talebã e Saddam Hussein. Os iranianos se tornaram atores-chaves no imbróglio iraquiano e, ironicamente, ao lado de Washington, peças de sustentação de um governo xiita, lance fundamental para que a nova ordem tivesse um esboço de legitimidade. O velho Iraque foi destruído. O novo é uma ciranda de caos e morte. A invasão americana que deveria ter sido a ponta-de-lança de um admirável mundo novo ganha cada vez mais contornos vietnamitas para os americanos. Atolado no Iraque, o governo Bush foi perdendo a capacidade de atuação no Oriente Médio. Em outros casos, como na crise palestina, foi negligente por opção. O vácuo diplomático foi cada vez mais ocupado pelos iranianos, para a inquietação de regimes árabes conservadores e sunitas. A crise libanesa apenas melhorou a posição iraniana. De imediato serviu para tirar o foco do seu programa nuclear. Teeran espera que os desdobramentos desta crise inclusive dividam americanos e europeus (cont.)

Leia Mais:
País foi 'despedaçado', diz premiê do Líbano

Atualizando: 21.07.2006 - 23h33
Graças a Jim West acabei de ler outra interpretação das razões do conflito. "The Israel-Lebanon conflict has opened up a possible route for George W. Bush and his neoconservative strategists to achieve a prized goal that otherwise appeared to be blocked for them – military assaults on Syria and Iran aimed at crippling those governments", escreve Robert Parry em The Consortiumnews.com. Leia o texto aqui.

Marcadores:

Bookmark and Share

0 Comentários:

Postar um comentário



Links para este post:

Criar um link

<< Início