Observatório Bíblico

Quarta-feira, Março 22, 2006

Center for the Study of New Testament Manuscripts

O Center for the Study of New Testament Manuscripts (Centro para o Estudo dos Manuscritos do Novo Testamento) traz reproduções digitalizadas dos manuscritos do Novo Testamento que foram preservados, além de oferecer uma série de recursos para a crítica textual do Novo Testamento.

Nestes dias o site colocou online um facsimile do Codex Alexandrino, como explica Chris Weimer, no seu blog Thoughts on Antiquity (um codex, ou códice, é um manuscrito em pergaminho cujas folhas são enfeixadas em forma de livro).

Não existe mais nenhum texto original dos livros do Novo Testamento (e nem do AT). Possuímos, na verdade, milhares de manuscritos gregos, versões antigas em outras línguas e citações feitas pelos Padres da Igreja.

Os manuscritos gregos eram escritos em papiro (predominaram até o início do século IV) ou pergaminho (o mais usado, do século IV ao século XIII). O pergaminho já escrito podia, e era, muitas vezes, raspado e reescrito. Hoje, com modernas técnicas, mesmo a escrita raspada pode ser lida. Tal tipo de pergaminho chama-se palimpsesto.

Os manuscritos gregos eram escritos com letras maiúsculas ou unciais (1 uncia = 1 polegada, indicação da medida da letra) ou letras minúsculas (estes, mais recentes, começaram a aparecer no século IX).

Os lecionários eram compilações dos textos gregos feitas para uso das comunidades. Mesmo retalhados em pequenos textos, contêm eles a maior parte do NT.


São atualmente conhecidos mais de cinco mil manuscritos gregos do NT, assim divididos:
85 papiros - designados por um P e um número: P1, P2, P45 etc
268 pergaminhos maiúsculos - representados por letras maiúsculas latinas, gregas e hebraicas
2.792 pergaminhos minúsculos - indicados por algarismos: 1, 2, 25 etc
2.193 lecionários - designados por um l minúsculo e um número: l1, l2 etc

Naturalmente estes manuscritos quase nunca contêm todo o NT. Em número maior aparecem cópias dos evangelhos, seguidos pelas cartas de Paulo. E o Apocalipse é o mais desconsiderado, estando presente em apenas 5 papiros, 10 pergaminhos maiúsculos e 235 minúsculos.

O mais antigo fragmento do NT é o P52, conhecido como Papiro Ryland, que se encontra em Manchester, Inglaterra. Contém Jo 18,31-34.37-38. Uns poucos versículos, como se vê. Sua data: início do século II.


Entre os mais importantes pergaminhos maiúsculos, temos:
O Vaticano porque desde o século XV está na Biblioteca Vaticana. Contém, além do AT quase todo, a maior parte do NT. É do princípio do séc. IV, vem provavelmente do Egito, é um dos melhores textos do NT e o mais antigo dos grandes manuscritos bíblicos.

O Sinaítico, encontrado no Mosteiro de Santa Catarina, no Sinai, está hoje, na sua maior parte, na British Library de Londres, enquanto partes menores estão em outros três lugares. Data da metade do século IV, é originário do Egito ou da Palestina. Contém todo o NT.

O Alexandrino, do século V, Egito, ficou do século XIV até 1627 na biblioteca do Patriarca de Alexandria e agora está no British Museum. Contém o NT todo, com lacunas.

O Ephraemi Rescriptus, do século V, é um palimpsesto apagado no século XII. Contém 5/8 do NT e está hoje na Biblioteca Nacional de Paris.

Onde Encontrar: Ayrton's Biblical Page > Links

Marcadores:

Bookmark and Share

2 Comentários:

  • O mundo inteiro está ansioso pelo conteudo do Codex Sinaiticus e não como, aonde, quando foi achado.

    um abraço

    Jesus Fonseca

    Por Anonymous Anônimo, Às 11/07/2009 13:40:00  

  • Jesus Fonseca,

    Pois é. O conteúdo do Codex Sinaiticus já é conhecido por quem é do ramo faz muito, muito tempo. Quer novas traduções? Veja no site do Codex Sinaiticus: Translation of Codex Sinaiticus.

    Tradução em inglês:
    "Oxford University Press has granted the Codex Sinaiticus Project permission to approach the translators of A New English Translation of the Septuagint (NETS) and ask them to adapt their translation to the text of Codex Sinaiticus. NETS is the fruit of a collaboration of scholars specialising in Septuagint Studies. These scholars worked under the aegis of The International Organization for Septuagint and Cognate Studies (IOSCS) to produce an outstanding translation of the Jewish Scriptures/Old Testament in Greek. The Greek translation of the NETS is based on published editions reconstructing an earliest text from all relevant manuscript sources. Since the text of Codex Sinaiticus often differs from those editions, the NETS translation has to be adapted to represent the wording of Codex Sinaiticus. The details of NETS are: A New English Translation of the Septuagint and the other Greek translations traditionally included under that title, edited by Albert Pietersma and Benjamin G. Wright, New York and Oxford: Oxford University Press, 2007. (ISBN13: 978-0-19-528975-6; ISBN10: 0-19-528975-7). It can be ordered via the Oxford University Press website for the USA".

    Tradução em alemão:
    "The Project is in discussion with the German Bible Society (Deutsche Bibelgesellschaft) in the hope that translators working on the Septuaginta Deutsch Project (LXX.D) may be willing to adapt their translation to the text of Codex Sinaiticus. Similar to NETS, Septuaginta Deutsch is a project, initiated by Wolfgang Kraus and Martin Karrer, to translate the Greek Old Testament into German. The German translation will soon be published by The German Bible Society".

    Por Blogger airtonjo, Às 12/07/2009 22:14:00  

Postar um comentário



Links para este post:

Criar um link

<< Início