Observatório Bíblico

Quarta-feira, Novembro 30, 2005

Einstein no CERN dia 01/12/2005: acompanhe pela Internet

O Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), sediado em Genebra, Suíça, e o Comitê Internacional para o Ano Mundial da Física farão amanhã, 01/12/2005, doze horas de palestras sobre física. Participam grandes expoentes da física mundial, como Stephen Hawking, Murray Gell-Mann, Carlo Rubbia, Paul Davies, David Gross, Tim Berner Lee e muitos outros. Vários deles ganharam o Prêmio Nobel.

O objetivo do evento é debater a física a partir e para além de Einstein, pois neste ano - declarado como o Ano Mundial da Física - comemorou-se no mundo todo o centenário do miraculoso ano de Einstein. Com efeito, foi em 1905 que o jovem físico desenvolveu três de seus mais importantes artigos, apresentando a teoria da relatividade especial, o conceito dos quanta de luz e hipóteses sobre a movimentação das moléculas. O evento, realizado na sede do CERN, será transmitido ao vivo pela Internet. Depois disso, pelo menos parcialmente, o evento permanece gravado neste endereço e à disposição dos interessados.

Leia mais:
Beyond Einstein: World Wide Webcast
Maratona de 12h de palestras celebra ano mundial da física
Páginas sobre Einstein

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Novembro 27, 2005

Biblioblogs: mais problemas do que soluções?

No rescaldo da sessão sobre os biblioblogs na SBL, uma polêmica tomou conta de muitos biblioblogs: por que os biblioblogueiros são em sua quase totalidade homens, brancos, acadêmicos e de países ricos? A questão de gênero: onde estão as mulheres biblioblogueiras? O monopólio cultural: onde estão os biblioblogs de outras culturas fora do circuito acadêmico europeu/norte-americano? Seria mesmo adequado o nome biblioblog? Nomear neste caso serve para distinguir, ou o rótulo "bibliobloggers" estaria sendo utilizado para definir um "clube" específico e fechado?

E a questão da língua - predomina o inglês - que nem chegou a ser colocada? Sabemos que todo biblista competente consegue ler uma dezena ou mais de línguas, sendo o inglês, o francês e o alemão obrigatórios pela extensa bibliografia publicada nestas três línguas. Mas os falantes de língua inglesa estão preocupados em ler, por exemplo, o português? Ou não precisam aprender línguas de países periféricos, por ser sua produção acadêmica significativamente menor? Ou ainda: tudo o que sai nas "línguas periféricas" não acaba traduzido para o inglês, a língua dominante na Internet e no mundo?

"Blogo" ou não "blogo" (!): eis a questão! "Biblioblogo" ou não "biblioblogo": onde está a solução?

Leia mais:
Death of the biblioblog?
Digital Openness and Biblical Studies (post-CARG post #1)

Marcadores:

Bookmark and Share

Quarta-feira, Novembro 23, 2005

Tel Zayit na SBL

Para atualizar suas informações sobre a Inscrição de Tel Zayit após a sessão da SBL 2005, leia:

Tel Zayit (Zeitah) Inscription Session Report

Marcadores:

Bookmark and Share

Os Biblioblogs na SBL

Links para vários biblioblogs que comentam o debate na SBL 2005. Leia:

SBL CARG-Blogging-Session Roundup

Marcadores:

Bookmark and Share

Sexta-feira, Novembro 18, 2005

Biblioblogs: problemas e soluções

SBL CARG... O que será isso?

Apenas Society of Biblical Literature [Annual Meeting] Computer Assisted Research [Section] Group. É que no Encontro Anual da Sociedade de Literatura Bíblica (SBL), em Filadélfia, USA, que acontece de 19 a 22 de novembro de 2005, um Grupo de Pesquisa Auxiliada por Computador (CARG), estará debatendo, no dia 20, os biblioblogs, em tema intitulado: The Pleasures, Pains and Prospects for Biblioblogging.

Lembro que um Biblioblog ou Blog sobre Estudos Bíblicos é um diário virtual que tem como foco principal pesquisas bíblicas realizadas por exegetas ou estudantes de pós-graduação em Bíblia. E que este debate se impõe, pois o fenômeno dos biblioblogs tem crescido de maneira significativa. Especialmente os biblioblogs em língua inglesa, com clara predominância de pesquisadores dos Estados Unidos e do Reino Unido. Para um número cada vez maior de biblistas e estudantes de Bíblia, os biblioblogs têm sido uma maneira interessante de rapidamente difundir notícias e informações, trocar idéias e provocar debates.

Mas qual é o futuro dos biblioblogs? Qual é o seu real objetivo? Quem está fazendo biblioblogs? Quem lê os biblioblogs? Qual sua relação com as tradicionais páginas de Bíblia na Internet? Os biblioblogs contribuem para a pesquisa ou não passam de mais um modismo da web? Conseguem manter a profundidade do debate acadêmico ou tendem a banalizá-lo? Os softwares para blogs são adequados ou devem melhorar?

Para debater tais questões, um grupo de pioneiros em biblioblogs estará presente no encontro da SBL. Apresentam ensaios os "bibliobloggers" James Davila, University of St. Andrews, Scotland e Rich Brannan, PastoralEpistles.com, USA, em seção presidida por Mark Goodacre, Duke University, USA. No painel que se seguirá, estarão participando: A.K.M. Adam, Seabury-Western Theological Seminary, Evanston, IL; Tim Bulkeley, University of Aukland, New Zealand; Stephen Carlson, Fairfax, VA; Edward Cook, Cincinnati, OH; Torrey Seland, Volda University College, Norway; James West, Quartz Hill School of Theology, Quartz Hill, CA.

Leia os ensaios que serão apresentados:
Biblioblog Problems and Solutions: PastoralEpistles.com as a Sandbox, by Rick Brannan (PastoralEpistles.com)
Enter the Bibliobloggers, by James R. Davila (PaleoJudaica.com) [Obs.: link quebrado]

Leia mais:
Resources for SBL CARG biblioblog session
SBL CARG Biblioblog Session
SBL CARG Biblioblog Session: Relevant Posts

Marcadores:

Bookmark and Share

Terça-feira, Novembro 15, 2005

Tell es-Safi/Gat e o nome Golias

Toma conta da imprensa nestes dias, com tremendo sensacionalismo, a notícia da descoberta de um pequeno pedaço de cerâmica nas escavações de Tell es-Safi, ruínas da antiga cidade de Gat, no qual estão escritas duas palavras אלות = 'lvth e ולת = vlth que teriam semelhança com o nome גלית = glyth, ou seja, "Golias". Os nomes podem ser igualmente transliterados como 'lwt e wlt ou )lwt e wlt, dependendo da convenção que se adote.

O óstracon (do grego, ostrakon, plural ostraka: um caco de cerâmica utilizado para se escrever alguma coisa) foi datado entre os séculos X e IX a.C. e as duas palavras estão escritas em um "proto-cananeu" arcaico. Tudo o que se sabe, por enquanto, é que existe a possibilidade destas palavras serem semelhantes a Goliath, ou Golias, nome que muitos especialistas acreditam ser de origem não-semítica, etimologicamente relacionado com vários nomes indo-europeus, como, por exemplo, o nome lídio Aliates. A escavação é dirigida pelo Dr. Aren Maeir, professor da Universidade Bar Ilan, em Ramat Gan, Israel.

Todo o sensacionalismo decorre da existência da narrativa de 1Sm 17, onde se conta que o jovem Davi, de Belém, no contexto das guerras entre o exército de Saul e os filisteus, enfrentou e matou um terrível guerreiro filisteu chamado Golias, originário de Gat (v. 4: "Saiu do acampamento filisteu um grande guerreiro. Chamava-se Golias, de Gat. A sua estatura era de seis côvados e um palmo"; v. 23: "Enquanto conversava com eles, o grande guerreiro - chamado Golias, o filisteu de Gat - apareceu, vindo da linha inimiga..."). Segundo esta narrativa, o estatura do Golias era de 2 metros e meio, mais ou menos!

A imprensa não especializada já está identificando, precipitadamente, os nomes encontrados em Tell es-Safi com o nome Golias e este com o personagem da narrativa bíblica, em tom bastante apologético, no estilo "a Bíblia tinha razão". Sobretudo porque há, no mundo acadêmico, entre os chamados "minimalistas" e os "maximalistas", uma acirrada disputa sobre o valor histórico das narrativas bíblicas, que pode ser vista aqui, e porque há um contexto político em Israel - na complexa luta entre israelenses e palestinos pelo território - que favorece este tipo de coisa. Os especialistas são mais prudentes, embora também neste meio não faltem conclusões apressadas.

A prudência, entretanto, se impõe, pois esta narrativa do livro de Samuel é considerada, nos meios acadêmicos, uma tradição deuteronomista bastante controvertida. Apresento, das muitas existentes, duas razões:
. a Obra Histórica Deuteronomista (OHDtr) foi escrita possivelmente no século VI a.C., em um gênero literário que não corresponde de modo algum ao nosso modo de escrever "história" hoje, herdado da tradição alemã
. por outro lado, o gigante Golias acaba morrendo duas vezes, pois segundo a mesma OHDtr, em 2Sm 21,19 se diz que "A guerra continuou ainda em Gob com os filisteus, e Elcanã, filho de Iari, de Belém, matou Golias de Gat; a madeira de sua lança era como cilindro de tecedeira". Tentando conciliar as duas tradições, 1Cr 20,5, obra posterior à deuteronomista, diz: "Houve ainda outra batalha contra os filisteus. Elcanã, filho de Jair, matou Lami, irmão de Golias de Gat; a haste de sua lança era como um cilindro de tecelão" (estou utilizando a tradução da Bíblia de Jerusalém, nova edição, revista e ampliada, São Paulo, Paulus, 2a. impressão, 2003 - que, por sinal, erra, ao traduzir, em 1Cr 20,5, a palavra hebraica 'ah por "filho" e não por "irmão").


Leia mais:

Das Philister-Projekt (com fotos)
Das Philister-Projekt - Tell es-Safi/Gat (com fotos das escavações)

Marcadores:

Bookmark and Share

Domingo, Novembro 13, 2005

A Inscrição de Tel Zayit

No dia 15 de julho passado foi encontrado em Tel Zayit, sítio arqueológico situado na região de Lakish, no território de Judá, um "abecedário" hebraico. Contendo as 22 letras do alfabeto hebraico, a inscrição vem sendo considerada pelos arqueólogos como o mais antigo "alfabeto" hebraico de que se tem notícia, estando a pedra onde foi gravada inserida em uma construção do século X a.C. Fato curioso é que várias letras estão em ordem diversa do atual alfabeto hebraico, como a seqüência vav, hê, hêth, záyin e têth, que hoje é hê, vav, záyin, hêth, têth. Ainda: sobre a origem e função da inscrição há opiniões divergentes entre os envolvidos em sua interpretação.

Especialistas em escrita antiga dizem que a inscrição mostra, provavelmente, um alfabeto ainda em fase de transição do fenício para o hebraico. Vale lembrar aqui que do alfabeto fenício derivam igualmente o ugarítico e o grego. A descoberta foi anunciada no dia 9 de novembro de 2005. No dia 20 de novembro a inscrição será apresentada e analisada na reunião anual da Sociedade de Literatura Bíblica (SBL), no Centro de Convenções da Filadélfia, na Pensilvânia.

Tel Zayit vem sendo escavada desde 1999 por uma equipe dirigida pelo Dr. Ron E. Tappy, professor de Bíblia e Arqueologia do Seminário Teológico de Pittsburgh, na Pensilvânia, USA. Além de financiado por doações da iniciativa privada, o projeto está ligado à ASOR - American Schools of Oriental Research -, com sede em Boston, MA, USA, e ao Instituto W. F. Albright para a Pesquisa Arqueológica, com sede em Jerusalém.


Leia mais:
A Is for Ancient, Describing an Alphabet Found Near Jerusalem (com fotos)
[biblical-studies] tel zayit
Pittsburgh archeologist discovers ancient alphabet in Israel (com fotos)
The oldest Hebrew alphabet? (com foto)
The Tel Zayit Inscription: An Archaeological Benchmark in the History of Writing

Marcadores:

Bookmark and Share