Bibliografia Bíblica - Biblical Bibliography

 

Próxima

 

Introdução à Bíblia/Introduction to the Bible

Português

BROWN, R. E. Introdução ao Novo Testamento. Traduzido do inglês por Paulo F. Valério. São Paulo: Paulinas, 2004, 1135 p. - ISBN 8535613439.

Um estudo crítico do texto, situado dentro de seu contexto global, histórico, cultural e religioso, que nos permite avaliar o que seus autores tencionaram transmitir, mostrando também o alcance de sua mensagem e sua repercussão na história do pensamento e do comportamento religioso da humanidade como um todo. 


 

CERESKO, A. R. Introdução ao Antigo Testamento numa Perspectiva Libertadora. Traduzido do inglês por José Raimundo Vidigal. São Paulo:Ceresko, Introdução ao Antigo Testamento Paulus, 1997, 352 p. - ISBN 8534906513.

Duas características recomendam este livro: 1) a obra trata continuamente das questões sociais e dos modos como o poder social se manifesta nos textos e através deles; 2) é um trabalho pedagógico que oferece muitos dados, porém, sem sobrecarregar o leitor.


 

GABEL, J. B.; WHEELER, C. B. A Bíblia como Literatura. Uma Introdução. Traduzido do inglês por Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves. São Paulo: Loyola, 1993, 263 p. - ISBN 9788515007349.

Este livro aborda a Bíblia de uma perspectiva histórico-literária, estudando-a como um conjunto de escritos produzidos por pessoas reais que desejavam transmitir mensagens a um público real. Evitando apreciações sobre a verdade ou a autoridade da Bíblia, o livro mantém um rigoroso tom objetivo ao discutir tópicos relevantes como as formas e estratégias do texto bíblico, o ambiente histórico e físico real dos escritos, o processo de formação do cânon, as fontes do Pentateuco e a natureza de gêneros literários como a profecia, o apocalipse e o evangelho.


 

GOTTWALD, N. K. Introdução Socioliterária à Bíblia Hebraica. 2. ed. Traduzido do inglês por Anacleto Alvarez. São Paulo: Paulus, 1997, 651 p. - ISBN 8534904219.

Este livro tenta orientar o leitor para uma compreensão crítica da Bíblia Hebraica e para o estágio atual dos estudos bíblicos sob a perspectiva sociocultural. O autor pretende identificar as abordagens literárias e sociológicas da Bíblia Hebraica, as quais, em interação com métodos críticos mais antigos, revelam-se decisivas para os estudos bíblicos atualmente.


 

GRUEN, W. O tempo que se chama hoje: Uma introdução ao Antigo Testamento. 13. ed. São Paulo: Paulus, 1997, 280 p. - ISBN 8534907625.

Wolfgang Gruen oferece uma condensação não do tipo das que contam o enredo para dispensar o livro, mas convida o leitor a entrar no espírito do Antigo Testamento. As abordagens são feitas em linguagem simples e de modo sério e vivo. Esquemas, mapas, pontos para revisão integram o conjunto da obra, tornando-a um bom instrumento tanto para estudo em grupo, uso na catequese, em colégios como para o uso pessoal. Um resumo profundo e simples sobre o Antigo Testamento.


 

KOESTER, H. Introdução ao Novo Testamento: vol. I: História, cultura e religião do período helenístico; vol. II: História e literatura do cristianismo primitivo. São Paulo: Paulus, 2005. Vol I: 432 p. - ISBN 8534922802; Vol II - 2. ed.: 414 p. - ISBN 8534923299.

A Introdução ao Novo Testamento de Helmut Koester se destaca por abordar os primeiros escritos cristãos, canônicos e não-canônicos, a partir do contexto judaico e greco-romano em que foram gerados. Reconstitui no volume I o desenvolvimento histórico do Cristianismo primitivo, discutindo, além das questões políticas e religiosas, a economia, a sociedade, a filosofia, a educação e a literatura do período helenístico. Já no volume II aborda a história das primeiras comunidades cristãs e a literatura de João Batista até os Pais da Igreja. Analisa 27 textos canônicos e não-canônicos, trazendo informações detalhadas sobre seus autores, datas, contextos e resultados, além de glossário, mapas e uma extensa bibliografia relacionada a cada tema.


 

KONINGS, J. A Bíblia, sua origem e sua leitura. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2012, 280 p. - ISBN 9788532642202.

Esta é a nova versão da sucinta introdução ao estudo bíblico, lançada em 1992 com o título A Bíblia, sua história e sua leitura e refundida em 1997 com o título A Bíblia nas suas origens e hoje. A evolução da pesquisa bíblica e da prática de leitura e ensino urgiu a atualização da obra. A presente reformulação proporciona informação básica e orientações fundamentais para a leitura da Bíblia. Objetivando a visão de conjunto, fornece ao leitor um referencial para o estudo aprofundado. O roteiro se desenvolve como uma viagem ao âmbito original da Bíblia, para, com esse conhecimento, voltar ao momento presente. 


 

LEONEL, J.; ZABATIERO, J. P. T. Bíblia, literatura e linguagem. São Paulo: Paulus, 2011, 240 p. - ISBN 9788534924894.

O estudo tematiza a leitura da Bíblia em diálogo com a teoria semiótica de Algirdas Julien Greimas, linguista lituano de origem russa, representando um esforço para ir além dos modos de ler o Livro Sagrado predominantes na modernidade e estabelecendo diálogo com a teoria literária e a teologia.


 

LEVINSON, B. M. Revisão legal e renovação religiosa no Antigo Israel. Traduzido do inglês. São Paulo: Paulus, 2011, 168 p. - ISBN 9788534932790. 

Levinson se esforça para esclarecer até aos mais conservadores que por trás da forma final do texto bíblico canônico reside a evidência de uma utilização criativa e de interpretação, reinterpretação e reaplicação de textos anteriores também canônicos. A esse processo hoje se chama de “exegese intrabíblica”. Nesse sentido, a obra de Levinson é uma ferramenta excelente tanto para iniciantes quanto para pesquisadores experientes. Os ensaios abrangem uma vasta gama de problemas metodológicos e de conhecimentos exegéticos que estão na vanguarda da pesquisa atual no que se refere a tradições jurídicas presentes na bíblia hebraica (comentário de Aíla Luzia Pinheiro de Andrade).


 

McDONALD, L. M. A origem da Bíblia: um guia para os perplexos. São Paulo: Paulus, 2012, 264 p. - ISBN 9788534935678.

Um trabalho que oferece respostas e explica os caminhos percorridos pela Bíblia até os dias atuais. Em estilo acessível, o autor descreve como a Bíblia cristã teve seu início, desenvolveu-se e por fim, se fixou. Lee Martin McDonald analisa textos desde a Bíblia hebraica até a literatura patrística.


 

MESTERS, C. Deus, onde estás? Uma introdução prática à Bíblia. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2008, 216 p. - ISBN 8532619185.

Este livro pretende contemplar questionamentos sérios sobre a busca de Deus e dar dicas de encaminhamento de respostas. O autor demonstra que a Sagrada Escritura e seus grandes personagens passaram por essa mesma experiência de busca. Diz também que é a partir destes grandes homens da Bíblia que se nos abrirão perspectivas de respostas aos nossos questionamentos.


 

SCHMID, K. História da Literatura do Antigo Testamento: uma introdução. Traduzido do alemão. São Paulo: Loyola, 2013, 352 p. - ISBN 9788515039906.

O Antigo Testamento reúne livros e textos de diferentes origens históricas e teológicas, que se relacionam entre si em muitos aspectos. Esta obra pretende reunir disciplinas tradicionais da ciência do Antigo Testamento para melhor compreender essa diversidade.


 

TREBOLLE BARRERA, J. A Bíblia Judaica e a Bíblia Cristã. Introdução à História da Bíblia. 2. ed. Traduzido do espanhol por Ramiro Mincato. Petrópolis: Vozes, 2000, 741 p. - ISBN 8532614370.

Este livro reúne os conhecimentos científicos atuais sobre a história da Bíblia. A formação das coleções dos livros canônicos e apócrifos; a transmissão e tradução do texto da Bíblia; a interpretação da Bíblia no judaísmo e no cristianismo: estes são alguns dos assuntos tratados.


 

ZENGER, E. et al. Introdução ao Antigo Testamento. Traduzido do alemão por Werner Fuchs. São Paulo: Loyola, 2003, 560 p. - ISBN 9788515023288.

Introdução ao significado e surgimento do Antigo/Primeiro Testamento cristão como um todo, bem como de suas partes. Esta uma introdução abrangente, que trata do cânon mais extenso do Antigo Testamento, atualmente em vigor na tradição católica: são apresentados também os livros chamados deuterocanônicos. Reflete-se expressamente sobre o fato de que o Antigo Testamento é a primeira parte da Bíblia cristã. Ao mesmo tempo, porém, destaca-se que a maior parte dos escritos do AT surgiu como Bíblia judaica e como tal continua viva no judaísmo.


English

CARTER, W. The Roman Empire and the New Testament: An Essential Guide. Nashville: Abingdon Press, 2006, 162 p. - ISBN 9780687343942.

An indispensable introduction to Roman society, culture, law, politics, religion, and daily life as they relate to the study of the New Testament. Anyone who wishes to understand the New Testament texts must become familiar with the political, economic, societal, cultural, and religious aspects of Roman rule. Much of the New Testament deals with enabling its readers to negotiate, in an array of different manners, this pervasive imperial context. This book will help the reader see how social structures and daily practices in the Roman world illumine so much of the content of the New Testament message. 


 

DAVIS, E. F. Scripture, Culture, and Agriculture: An Agrarian Reading of the Bible. Cambridge: Cambridge University Press, 2009, xvii + 234 p. - ISBN 9780521732239.

For anyone who believes that the Old Testament is a powerful voice in support of our sustainable use of the planet’s resources (which some deny) but is dissatisfied with current attempts to demonstrate that (e.g., the very tired “stewardship” idea), Ellen Davis’s Scripture, Culture, and Agriculture: An Agrarian Reading of the Bible is your answer. This is a triumphantly novel and successful work of scholarship that on the all-important question of our relationship to the earth allows vast sweeps of the Old Testament to give vent to its deep intelligence and profound moral insights that were always available if only someone asked the right questions [Philip F. Esler]. Review by Philip F. Esler, RBL, published 9/12/2009.


 

DAY, J. Yahweh and the Gods and Goddesses of Canaan. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2001, 288 p. - ISBN 9780826468307.

The work considers in detail the relationship between Yahweh and the various gods and goddesses of Canaan, including the leading gods El and Baal, the great goddesses (Asherah, Astarte and Anat), astral deities (Sun, Moon and Lucifer), and underworld deities (Mot, Resheph, Molech and the Rephaim). Day assesses both what Yahwism assimilated from these deities and what it came to reject. More generally he discusses the impact of Canaanite polytheism on ancient Israel and how monotheism was eventually achieved.


 

DEIST, F. E. The Material Culture of the Bible. An Introduction. Edited with a Preface by Robert P. Carroll. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2000, 352 p. - ISBN 9781841270982.

Biblical interpretation implies inter-cultural communication. This book explores the theoretical and practical implications of this observation from a cultural anthropological perspective, looks at recent anthropological studies of ancient Israelite society, supplies practical examples of a cultural interpretation of ancient Hebrew narratives, and discusses the impact of the notions 'cultural  relativity' and 'intercultural communication' for biblical interpretation.


 

DUNGAN, D. L. A History of the Synoptic Problem: The Canon, the Text, the Composition, and the Interpretation of the Gospels. Garden City, New York: Doubleday, 1999, 544 p. - ISBN 9780385471923.

This is an accessible, academic study of a question that has needled readers of the New Testament since before the Bible was canonized: How does one reconcile the different accounts of Jesus's life given by the four gospels? Dungan provides a clear and lively history of the strategies employed by Origen, Augustine, Erasmus, Spinoza, Locke, and others. Dungan's method is to break the synoptic problem down into its corollary questions: Which gospels should be considered in the debate? Which text of each gospel should be considered? And how should one read the Bible in general and the gospels in particular? Dungan's interest in these questions is not merely literary; he also delves into the political and economic agendas that have influenced biblical interpretation.


 

ESLER, P. F. (ed.) Ancient Israel: The Old Testament in Its Social Context. Minneapolis: Fortress, 2005, xvii + 420 p. - ISBN 0800637674.

This volume brings together essays by an international group of biblical scholars on Old Testament topics, employing social-scientific methods: anthropology, macro-sociology, and social psychology. Their innovative work brings alive Israelite society, religion, and its sacred writings. This is a volume of essays from the 2004 St. Andrews [Scotland] conference on Old Testament Interpretation and the Social Sciences [livro citado também na seção de Métodos para a  leitura da Bíblia da Bibliografia]. More here, and here.


 

FREED, E. D. The Stories of Jesus' Birth. A Critical Introduction. London: T & T Clark, 2004, 184 p. - ISBN 9780567080462.

Freed's highly accessible introduction, directed to students and interested non-specialists as well as scholars, explains and examines these well-known stories from a critical perspective. 'Critical' is taken in the sense of judging among alternative answers to problems that arise from such study and arguing for the preferred solution. The aim of this book is to draw the reader to the gospel accounts for the purpose of evoking critical thought rather than to persuade the reader of a particular interpretation.


 

MCDONALD, L. M.; SANDERS, J. A. (eds.) The Canon Debate. Peabody, MA: Hendrickson, 2002, x + 662 p. - ISBN 9781565635173.

An introduction to the subject followed by thirty-two articles by the same number of scholars on all aspects of the canon. Some contributors: Eugene Ulrich, Philip R. Davies, Joseph Blenkinsopp, James C. VanderKam, Steve Mason, Julio C. Trebolle Barrera, Craig A. Evans, Daniel J. Harrington, Emanuel Tov, François Bovon, James D. G. Dunn... In the words of John J. Collins: "Without doubt the most comprehensive treatment ever published of canon formation in Judaism and Christianity" (CBQ 65, October 2003, p. 657). And Robert T. Mclay (St. Stephen's University, St. Stephen, Canada) in CBQ 65, p. 658: "The essays are well written and characterized by a consistently high level of careful and accurate scholarship that is focused on the primary sources. The Dead Sea Scrolls, pseudepigrapha, Jewish and Christian Scriptures, Marcion, Eusebius, the Church Fathers, and more are mined and reexamined in order to determine what can be known about the formation of the canon".


 

POWELL, M. A. Introducing the New Testament: A Historical, Literary and Theological Survey. Grand Rapids, MI: Baker Academic, 2009, 560 p. - ISBN 9780801028687. 

This beautifully written and engaging survey offers an up-to-date New Testament introduction for undergraduate students and general readers. Powell presents disputed and controversial issues fairly, neither dictating conclusions nor privileging skepticism over faith-based perspectives. The book is written in a lively and engaging style and includes helpful sidebars, maps, tables, charts, glossary, diagrams, and suggestions for further reading. In addition, this full-color book includes beautiful artwork illustrating the reception of the New Testament through various times and cultures. A companion Web site will feature a wealth of additional resources for students and instructors. Mark Allan Powell is the Robert and Phyllis Leatherman Professor of New Testament at Trinity Lutheran Seminary. Visite o site do livro. Leia também aqui e aqui.


 

RÖMER, T.; DAVIES, P. R. (eds.) Writing the Bible: Scribes, Scribalism and Script. Durham: Acumen Publishing, 2013, 256 p. - ISBN 9781844657315.

For many years it has been recognized that the key to explaining the production of the Bible lies in understanding the profession, the practice and the mentality of scribes in the ancient Near East, classical Greece and the Greco-Roman world. In many ways, however, the production of the Jewish literary canon, while reflecting wider practice, constitutes an exception because of its religious function as the written "word of God", leading in turn to the veneration of scrolls as sacred and even cultic objects in themselves. "Writing the Bible" brings together the wide-ranging study of all major aspects of ancient writing and writers. The essays cover the dissemination of texts, book and canon formation, and the social and political effects of writing and of textual knowledge. Central issues discussed include the status of the scribe, the nature of 'authorship', the relationship between copying and redacting, and the relative status of oral and written knowledge.


 

SCORGIE, G. G.; STRAUSS, M. L.; VOTH, S. M. (eds.) The Challenge of Bible Translation. Grand Rapids, MI: Zondervan, 2003, 432 p. - ISBN 9780310246855.

The theory, history, and practice of Bible translation in a collection of 21 essays by leading scholars and practitioners in honor of Ronald F. Youngblood. There is a growing interest in the challenges of Bible translation as well as an increasing awareness of the power of translators to influence culture. This collection of 21 essays - divided into 3 sections: The Theory of Bible Translation; The History of Bible Translation, and The Practice of Bible Translation - brings together the carefully nuanced insights of years of experience devoted to the challenges of responsible biblical interpretation and translation. Contributors include leading scholars and practitioners, many of whom are part of the Committee on Bible Translation for the New International Version (NIV). Contributors: Kenneth Barker, Donald Carson, Thomas Correll, Charles H. Cosgrove, Kent Eaton, Richard T. France, Andreas Köstenberger, Douglas Moo, Glen G. Scorgie, Moisés Silva, James Smith III, John Stek, Mark Strauss, Ronald Veenker, Mariel Deluca Voth, Steven Voth, Larry Walker, Bruce Waltke, and Walt Wessel.


 

SICRE DÍAZ, J. L. Introducción al Antiguo Testamento. Estella (Navarra): Verbo Divino, 2011, 440 p. - ISBN 9788499451411.

La Introducción al Antiguo Testamento de José Luis Sicre siempre quiso ser, en palabras de su autor, una introducción “práctica y amena”, aunque pareciera difícil alcanzar la amenidad al abordar los vastos y complejos textos del Antiguo Testamento. Sin embargo, el propósito del autor parece haberse cumplido, a juzgar por la excelente acogida que esta obra ha tenido desde su primera edición en 1991. Esta nueva edición corregida, actualizada y aumentada continúa aunando lo ameno y pedagógico con lo científico, y persigue el mismo fin de la edición original: suscitar el interés, facilitar la lectura y sacar provecho del Antiguo Testamento. 

NEXT


Copyright © 1999-2014 Airton José da Silva. Todos os direitos reservados. Mapa do Site - Sitemap.